Um poço de lama. Alguns grãos de desejos. Um oásis de esperança. Um deserto de desespero.

domingo, 28 de setembro de 2008

Conhecimento


Empreste-me pedaços de seu discurso para que eu possa usá-los como meus
Suas palavras parecem tão sólidas que gostaria de derretê-las
Doe-me dúzias de seu “eu acabado” para que eu possa me construir,
Procure um pouco de tempo para me ensinar a me redimir,
Guie-me por dentre caminhos tortuosos, de elevada dificuldade,
pois nenhum enigma seria capaz de detê-lo, você conhecedor da vida,
dos conflitos, da conquista
Seu “eu” uni-facetado, conhecedor do retrocesso temporal
Como é complexo fazer do múltiplo uno
esquecendo da unidade maternal
Vamos voltar ao desconhecido
e esquecer o que temos que aprender
Não quero esse mundo de conhecimento
Quero apenas viver

Um comentário:

wanessa disse...

"A pintura é poesia silenciosa, a poesia é pintura que fala"(Simônides de Ceos)

ótma..

:)