Um poço de lama. Alguns grãos de desejos. Um oásis de esperança. Um deserto de desespero.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Inspiração


Eu não sei o que essas mentes incessantemente cantantes
Vivem cantantemente pensantes
Na pensantemente possibilidade cantante
Eu não sei por que meu coração invariavelmente frágil
Vive fragilizadamente confuso
Na confusamente presença tua
Vivendo constantemente em ti
Aprendi intimamente em mim
Que posso viver em tu
Através, assim, do aprendizado fragilizadamente cantante
Passei a viver intimamente confuso
Na variabilidade da mente

2 comentários:

Jjor disse...

Deve seguir, adelante, com a mesma intensidade de quem tira o que está no coração, passa pra mente, e expõe competentemente.

Lella disse...

todos estamos confusos. sempre