Um poço de lama. Alguns grãos de desejos. Um oásis de esperança. Um deserto de desespero.

domingo, 19 de outubro de 2008

Genealogia de um Perdido


Na Genealogia da existência,
de uma existência,
da minha existência
Tento encontrar
Algo para te dizer
De onde provém tudo que me criou
Tudo que me formou
Não me restam palavras
Apenas tiro do bolso pequenas e irrisórias metáforas
Rasas, profundas, jogadas
Você não me entende
Tudo que escrevi fora o que não sou
Foi o que fui
Foi o que me restou

Você não vai me deixar partir!
Na esquina daquela praça,
minha dívida se estende
para fronteiras desconhecidas
da tentativa de entender
o que faço por impulso
o que fiz por tesão
o que vou continuar fazendo por paixão
Mas em toda essa caminhada,
me mantenho perdido
afogado no meu próprio abismo
guilhotinado por meu destino

3 comentários:

Laís Eva disse...

"Às vezes você precisa criar o que você quer para ser parte daquilo."

Laís Eva disse...

"Um homem não é outra coisa senão o que faz de si mesmo."
(Jean-Paul Sartre)


te cuida, menino.

Lella disse...

são perguntas que todos nós nos fazemos...