Um poço de lama. Alguns grãos de desejos. Um oásis de esperança. Um deserto de desespero.

sábado, 28 de junho de 2008

Reencontro Interior



Um encontro marcado
A ânsia de não faltar
Esperei negação
Você estava lá

Conversas das mais diversas
Talvez para dispersar
Olhares muitas vezes trocados
Entre espíritos desvirtuados
Com certeza, vai nos sarar

Queria agora tua mão
Teu peito
Teu coração
Queria até um pouco mais
Quem sabe o pensamento
Teu temor
Teu tormento

Entre o frio das alturas,
queria o teu corpo
O escopo do meu gosto
A libido de nossos rostos

Dos sonhos de fato presentes
São todos quase (des)crentes
Criança da noite,
inverno recente
Toques antes desconhecidos
São conhecidos do passado

Entre corpos que se atraem,
conto essa história fugaz
De alguém que só quer mais alguns minutos
Tão sofridos de se alcançar
Não quero você para meu mundo
Quero apenas sonhar

2 comentários:

*izil* disse...

Passeando achei teu blog, e adorei, muito bom mesmo, parabéns
izil

Montarroyos disse...

Poxa que surpresa teu comentário.

Muito obrigado.

Estou bastante grato.