Um poço de lama. Alguns grãos de desejos. Um oásis de esperança. Um deserto de desespero.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Eu, você e meus Botões





Tentando fugir dos clichês
arrisco o que tento sentir
Quero sangrar um pouco menos
mas lá vai meu tempo
minhas horas que partem sem mim
Numa auto-salvação confusa
as palavras me atropelam
Fico cá 
sozinho
com meus botões
Pergunto-me, eu,
com todas as redundâncias,
se não seriam meus desejos
orgulho pueril
no meu mundo perfeito
querendo ilusões
Agradeço
quase com frase já feitas
Pulo no vidro
Estrago minha água
Suo um suor sacro,
revoltado,
desnecessário
E todos tentam ler,
a todo custo,
uma perdição aflita
nada cortez
pouco louvável
vergonhosa
repetitiva
não memorável
Uma confusão que não se entende
com equilíbrio e calculismo
É preciso ser cinza para entender o que é fogo
E me questiono mais uma vez
se mais vale queimar
que se apagar aos poucos
"És grandioso para sangrar até morte"
Mas me diz tú:
que vale morrer sem sofrer com a morte?


4 comentários:

Joelton Duarte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joelton Duarte disse...

EM MEIO A TANTOS CLICHES SEGUE MAIS UM - DAS CINZAS SURGE A FENIX - EMBORA SOFRA COM A MORTE É NA SUA MORTE QUE ESTÁ O RECOMEÇO, MAIS INTENSO E PERSPICAZ, NOBRE É AQUELE QUE FAZ DO SEU FIM UM GRANDE INÍCIO.JA DIZIA FERNANDO PESSOA - A DOR É INEVITÁVEL, O SOFRIMENTO OPCIONAL. A FENIX SABE DO SEU DESTINO MAS COM CORAGEM E OUSADIA SE REDUZ AO PÓ POIS É NELE QUE ESTÁ SUA R-E-D-E-N-Ç-Ã-O E É DISSO QUE PRECISAMOS, NOS REDIMIR PARA SERMOS ENFIM MEMORÁVEIS SERVINDO DE L-I-Ç-Ã-O NÃO PARA OUTREM MAS PARA NOS MESMOS.

TE CUIDA!

JOELTON DUARTE.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Srta. Bibliófila disse...

GOSTEI MUITO!!! BEM PROFUNDO...